IV Booktour: Dia-a-dia

 

PT

Compilação de textos e fotos que fui partilhando no Facebook e Instagram sobre esta aventura. Para que não se perca o testemunho com o passar do tempo, aqui fica também o registo.

Foto capa tour_actualizado

CARIDADE (Reguengos de Monsaraz)

MONSARAZ
A maravilha de descentralizar é conhecer novas localidades.
Como diziam uns turistas espanhóis: “Qué pasada de pueblo!” Concordo 

15

O novo roteiro pelo país não poderia ter começado de melhor forma! 
Não fazia ideia onde se situava a aldeia da Caridade e, também por isso, agradeço a oportunidade de ter ficado a conhecer uma nova localidade (Reguengos de Monsaraz e Monsaraz, um local a voltar!).
Uma sala composta recheada de partilhas e histórias 
Obrigada por tudo, em especial a quem teve a ideia, mesmo sem me conhecer, Sérgio Rolo , e ao CCC1 pela cedência do espaço. 

14

Um pequeno interregno no roteiro pelo país antes de iniciar o período mais intenso deste book tour tem sido refrescante.
Mais do que ter tempo, pois esse já o temos diariamente, é o dar-me tempo. Tempo para me deitar na relva e ouvir a água fresca correr, de sentir a relva húmida nas costas a contrastar com o sol de início de primavera que aquece a pele sem queimar, da aragem que refresca sem arrepiar, captar o chilrear dos passarinhos na organização das suas tarefas domésticas, sentir no braço as leves patinhas de um insecto mais arisco e curioso e com um leve sopro desviá-lo noutra direcção.
Deambular pelos campos, sentir o cheiro da terra, da lama, da vegetação recentemente cortada, o aroma das flores e o ar que de tão puro quase fere as narinas ao respirar, traz tantas, mas tantas lembranças do(s) Caminho(s)! Vêem à memória pequenos episódios com detalhes e pessoas que julgava já esquecidos.
E, assim, sem mochila às costas e etapas predifinidas, mas com os sentidos todos em alerta, por longos momentos, volto a Caminhar.

6

Desde o início dos roteiros pelo país a partilhar sobre o Caminho de Santiago, a minha vontade era de descentralizar, “ir às periferias”. Felizmente, várias foram as portas que se abriram nesse sentido e o périplo pelo país foi ficando composto.
E, embora não tenha nada contra as grandes cidades, ir às aldeias tem sido refrescante. Por um lado, dá-me a possibilidade de conhecer novos locais, por outro, de conhecer novos peregrinos igualmente empenhados e cheios de histórias para partilhar.
Apesar de me parecer que este será o último roteiro nestes moldes, não diria que não a um tour apenas de aldeias (e vilas)  (ideia de jerico? Hmm…)
OBRIGADA a todos os que têm aberto portas e mobilizado a comunidade, não tenho palavras para agradecer tanta generosidade e confiança! Pessoalmente tem sido muito enriquecedor! 

13

VIANA DO CASTELO

Costuma-se dizer que não se deve agradecer antecipadamente, sem saber ao certo o que virá a acontecer. Pois, não podia discordar mais.
Independentemente da noite de hoje, é um gosto enorme voltar a Viana do Castelo para partilhar e escutar experiências ao longo do(s) Caminho(s) individuais que cada um foi percorrendo e que têm tanto de comum  (na vez anterior vim através de uma proposta da DESPERTAR – Formação e Psicologia, Unipessoal, Lda.Girls Lean In).
OBRIGADA Alberto Barbosa (Presidente daAssociação dos Amigos do Caminho de Santiago de Viana do Castelo) pela dedicação e trabalho incansável de promoção (mea culpa, que não consegui estar tão disponível quanto deveria) ePatrícia Labandeiro por este novo reencontro e partilha de mesa 
O que vier, será um acréscimo, chegar até cá já foi bom!! 

ESPOSENDE

Uma noite bem passada entre peregrinos e interessados no Caminho. 
Obrigada Dulce pela sugestão; D. Fernanda e Sr. Armando Jorge pela hospitalidade; Sr. Presidente da Junta Aurélio Neiva pela porta aberta; Sr. Vereador Sérgio N. pela disponibilidade; ao Posto de Turismo; à Doce Atelier (tarte de Santiago deliciosa!) e à Florista de Atelier pelo belo arranjo.
Por último e não menos importante, um enorme agradecimento à Associação de Peregrinos Via Veteris, ao Sr. Presidente Manuel Miranda e a toda equipa.
Nenhum Caminho se faz sozinho, Grata por tudo!! 

10

VILA DO CONDE

Noite aconchegante em ambiente familiar na Loja do Caminho (obrigada Rafael pela disponibilidade), a convite da Patricia Pinho , representante da delegação da AEJ – Delegação Vila do Conde. OBRIGADA por tudo, foste incansável ao longo de todo o dia e com paciência para os pequenos contratempos 
Obrigada também à Carla L. A. Silva e ao Albergue de Peregrinos do Mosteiro de Vairão. Foi bom voltar a “casa”. 
Obrigada Fernando Pontes (Umpardebotas Upb) pela presença (já conheces a história melhor do que eu 😅) e por entusiasmares outros peregrinos a comparecerem.
Tão bom voltar a rever amigos e conhecer novos peregrinos. Que esse brilho no olhar e entusiasmo se mantenha. Contagiaram-me! 
Bom Caminho!

17

PESO DA RÉGUA

– Menina, prefere ir no autocarro mais tarde que é expresso?
Não, opto pelo que vai às várias “capelinhas”, sobra-me tempo e é uma oportunidade de passar por sítios aonde, de outra forma, dificilmente iria.
Estas viagens são familiares, as pessoas conhecem-se (dão logo sinal a uma moça que hoje mudou de rotina e não apanhou o carro da manhã, como de costume) e são uma boa forma de ficar a par das novidades locais. Hoje, ainda é preciso ir deitar remédio nas plantações, uma praga de escaravelhos anda a rondar. E, num pequeno episódio com uma senhora de mais idade em que se esqueceu de verificar o troco assim que o recebeu, fica registado que “somos todos pessoas de bem” e o assunto resolve-se num instante.
Gosto dos sotaques, também levo o meu. E gosto que o tempo nestas zonas tenha outro andamento, rende mais.
Aproveito para admirar a paisagem planeada e arduamente trabalhada em socalcos. As vinhas abundam, logo verei o produto final nas caves 
É bom estar de volta à Régua! 

7

Cidade do Vinho 2019
Cada encontro é um novo desafio, uma surpresa por não saber que pessoas irão comparecer. Na noite passada, éramos apenas 3 peregrinos, mas penso que contagiámos alguém. O futuro o dirá 
Pelo menos, ficou uma maior consciência da envolvente do Caminho, bem contextualizado pela Dra. Maria José Lacerda. E, num momento de envolvimento da comunidade, em que se pretende escolher o símbolo para um carimbo da Régua, foram apresentados 3 modelos a discussão. Pequenos passos a serem dados na promoção e desenvolvimento do Caminho do Interior.
Muito obrigada Dra. Maria José Lacerda pela sugestão de cá vir, à Câmara Municipal do Peso da Régua pelo convite e logística e às Caves Vale do Rodo pelo espaço.
Fica a vontade de voltar, mas apenas com uma mochila às costas, para percorrer o Caminho e desfrutar destas paisagens magníficas!!

5

COIMBRA

Há dias em que a nossa energia e disposição não são as mesmas. Ontem a vontade era de cancelar tudo ou que não aparecesse ninguém para rapidamente voltar a casa. Mas uma vez mais, o Caminho ensina. No derradeiro momento, uma epifania (já a sabia, mas foi preciso relembrar): este Caminho já não é meu, é algo que me ultrapassa, é uma pequena missão. E assim que comecei a partilha, senti-me não só a transformar, como os rostos à minha frente. Um serão mágico, em que é preciso tão pouco para que tudo aconteça! Obrigada pela generosidade e partilha final, tudo voltou e continua a fazer sentido 
Obrigada FNAC Coimbra pela porta aberta (Dr. Vítor), mas muito em especial, à Cristiana, incansável!
Obrigada José Roseiro e @Isabel pela amizade, é sempre bom voltar e rever-vos, além da ajuda preciosa em complementar a informação (AEJ Coimbra)
Obrigada aos presentes pelo feedback recebido, por compreenderem tão bem o objectivo e me relembrarem disso. 

4

CASCAIS

Depois de um dia semi-nublado, o sol voltou a brilhar. Mais uma tarde de partilha bem passada.
E, o bom de fazer planos, é que eles saem sempre melhorados! Afinal, ter amigos espalhados por cada recanto do país é uma benção. Obrigada Sofia e Tiago por tudo!!

3

PINHEIRO DA BEMPOSTA

Dia cheio de boas surpresas. Oportunidade de conhecer um pouco melhor Oliveira de Azeméis e Pinheiro da Bemposta, provar o pão de UL e relembrar troços do Caminho, quando cá passei há quase 3 anos (obrigada Maria José pelo tour!).
No final do encontro, um belo lanche preparado e, cereja no topo do bolo, um peregrino a passar em frente e a ser convidado a entrar. “Que mensagemqueres passar com o livro?” Em poucas palavras explico de como vejo de que este é um caminho para todos. “Escreveste o livro que eu quero escrever um dia, é mesmo isso!” Mas a história do S. é bem mais interessante e tocante que a minha, fico a aguardar por notícias suas 
Obrigada Maria José pelo desafio, à Adriana pela cedência do espaço (Grupo Juvenil do Pinheiro da Bemposta), ao Eduardo e ao Filipe pela boleia, a todos os que preparam o lanche e o espaço! 

2

SEVER DO VOUGA

Noto, não raras vezes, como é difícil fazer-me entender (mea culpa, certamente).
Pode parecer estranho, mas não me movem os números: quantas pessoas estão nas apresentações, quantos livros vendidos, quantos quilómetros percorridos, …
A premissa desde o início foi ter uma porta aberta, não tinha nada mais associado. Este Caminho é maior do que eu, já me ultrapassou há muito e acredito (mesmo) que tudo tem um motivo, ainda que não o compreenda no imediato. Viver assim dá uma tranquilidade enorme. É bom fazer os planos e depois deixar e confiar que o “Sr de Lá de Cima” irá orientar da melhor forma. E orienta, através das tantas pessoas com quem me tenho cruzado e que vão melhorando, acrescentando, abrilhantando o plano inicial.
Ontem não foi excepção. Uma estrada cortada levou-nos a um percurso todo-o-terreno, uma experiência a repetir, mas da próxima de forma intencional e mais arrojada (? ;) ) através da Desafios – desporto e aventura . A visita à cascata da Cabreia foi uma verdadeira lufada de ar fresco e trouxe recordações da Variante Espiritual. Coincidência ou não, ambas com a mesma designação: Rota da água e da pedra. Fica a vontade de voltar, com tempo, para conhecer melhor a região.
Por fim, uma bela surpresa, o reencontro com a Verónica, peregrina que conheci no Caminho Português de Santiago há 3 anos. Um primeiro encontro caricato, por ter sido reconhecida através do blog. Obrigada!! :)

Obrigada Bruno Costa e @Desafios – desporto e aventura por TUDO, gostei muito! Obrigada pequena grande Rafaela (e futura peregrina?) por toda essa boa energia :)
Obrigada @Anabela Moutela pela hospitalidade. Tão bom estes cruzares de caminho :)
Agradecimento à Câmara Municipal e Biblioteca Municipal De Sever Do Vouga pela cedência do espaço e amabilidade e à presença do Vice-Presidente da Câmara José Manuel Almeida e Costa que deu a conhecer os planos de dinamização do trajecto que liga o Caminho do Interior (Fontelo – Viseu) ao Caminho Central (em Albergaria-a-Velha).

1

VISEU

Sabia, à partida, que Viseu não seria um sítio fácil, era um “feeling”. Já não tinha sido na última passagem por cá. E, ainda assim, tudo valeu a pena. É bom que os dias com menos adesão aconteçam, para que os pés continuem sempre coladinhos ao chão. Obrigada Marco (com direito a apresentação personalizada), gostei da partilha que, dificilmente, de outra forma teria acontecido!! :)
“Always look on the bright side of Life”

23

GUARDA

Novas experiências: além da apresentação na Biblioteca, fui também ao estabelecimento prisional partilhar sobre o Caminho. Tão bom! 😁😁

25

Depois de 2 semanas de calor e dias de Verão, deparo-me com o friiiiiiio e… começa a nevar na hora da despedida. Pergunta-me um senhor: “É lindo, não é?” :)
Guarda foi uma caixinha de surpresas contínua. Primeiro, uma visita ao Carmelo (Irmãs de clausura) com um acolhimento inesperado. Depois, a sessão de apresentação no estabelecimento prisional, a qual tinha muita curiosidade em ver como iria correr. Encontrei um público interessado, divertido e participativo. Gostei muito e fica a vontade de repetir. Por fim, a partilha na Biblioteca, igualmente participativa e com reencontros.
Não há neve que arrefeça este quentinho que levo daqui, obrigadaaaa! 😊

 

Agradecimento à Biblioteca Municipal Eduardo Lourenço pela “porta aberta” e disponibilidade!
Obrigada Raquel pela hospitalidade, visita guiada e tudo, tudo, tudo. ❤

22

PORTO

A melhor forma de terminar o IV roteiro pelo país, foi estar rodeada de amigos que fizeram a surpresa de comparecer  e que o Caminho foi dando oportunidade de conhecer em diferentes fases e projectos. OBRIGADA!! :D

Obrigada @Jorge Torres (Pés no Caminho) pela sugestão e organização (com broas e vinho do Porto incluído)!!
Obrigada @Oscar Andrade pela porta do @Albergue de Peregrinos do Porto aberta! :)
Reportagem fotográfica: @Zé Lopes Reportagem. Obrigada Zé!! :)

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s