Partilha de Mário C. e Teresa V.: Sentir o Caminho

PT

O desafio foi lançado aqui, o Mário e a Teresa responderam ao mesmo.

NOTA: O conteúdo (texto e fotografias) são da inteira responsabilidade do(s) seu(s) autor(es).

Sentir o Caminho

 

Olá o meu nome é Mário Cruz e caminhei com a minha companheira de sempre a Teresa, o Caminho de Santiago a partir de Valença do Minho em Setembro de 2014.
Chegamos a Valência do Minho com a sensação de que deveríamos ter começado logo a caminhar. Tínhamos que ficar mais um dia, mas queríamos sentir o Caminho.
Chega o dia e começamos bem cedo, aquela brisa fresca de Setembro  sentia-se na face, um frio na barriga que passou após os primeiros passos, um sorriso interior desmedido e um silêncio barulhento.
Eu nunca me senti tão calmo e seguro, a Teresa não, mas o Caminho mostrou-lhe que ela era capaz.
Sempre tivemos acompanhados, sim sempre, mas não falo dos peregrinos e sempre que duvidávamos, tínhamos a resposta, a seta amarela aparecia ou um cheiro a rosas se manifestava, era surreal.
Fazer o Caminho para nós foi o desbravar de vários outros caminhos.
O Caminho deixou saudades e depois de o terminarmos só queríamos o próximo, queríamos senti-lo, a terra molhada, o cheiro a rosas, o bosque, os albergues, o Buen camino.
Desde que fiz este caminho de Santiago a partir de Valença perguntei para mim todos os dias, e agora para onde vou? Desde essa altura já fiz o Caminho Nascente, de Tomar a Fátima e o Caminho do Tejo, de Lisboa a Fátima, experiências igualmente enriquecedoras e outras tantas viagens, uma das mais enriquecedoras até este momento foi em Janeiro de 2016, fomos pais de um Super Baby, o Mateus.
Em conversa com um amigo numa viagem que tinha feito pela Europa, conversava comigo e dizia, que caminhar para Santiago e para Fátima era diferente, dizia-me que quando chegou a Santiago, perguntou para si mesmo e agora para onde vou? E quando caminhava para Fátima só queria chegar ao fim, eu senti exactamente o mesmo.
O Caminho mudou-nos e após o terminar sentimo-nos diferentes, tem algo mágico.
Queremos mais e na próxima vamos os três, queremos que o Mateus sinta o Caminho.
Bem haja.

Autores: Mário Cruz (Blog, Facebook) e Teresa Vilhena (Blog, Facebook)

Outras partilhas:
– Mário C. e Teresa V.: “Sentir o Caminho”
– Cláudia Gouvinhas: “Comecei a caminhar tarde…”
– David Prior II: “Camino Primitivo 2014 – la puesta a prueba tres años después
– Joana Vaz Teixeira: “Caminhando se faz o Caminho”
– Daniela Mello : “Falar do Caminho de Santiago tira boa parte do encanto que é vivê-lo”
– David Prior: “De un reto a un camino de descubrimientos y experiencias”
– Luís: “Caminho de Santiago: Grandes dúvidas e grandes desafios”
– Juciara Nepomuceno: “Três lições do Caminho”
– David Rodrigues: “KM 0 – Quando pensares que o Caminho terminou…”

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s