Via de la Plata: Salamanca

PT /EN

Desperto à hora habitual, a rotina está instalada no corpo, mas desta vez, para variar, viro-me para o lado para voltar a dormir. Não será por muito tempo, mas é o suficiente para dar sinal de que hoje é dia de preguicite e tudo será feito em “slow motion”.

Aproveitamos o dia para deambular um pouco pelo centro da cidade, principamente pelo centro histórico. Desta vez ficarei apenas com uma ideia da mesma, na esperança de poder  ter oportunidade de regressar um dia para conhecer a fundo, mas, hoje, não me apetece ser uma turista “intensiva”, não estou com esse espírito.

Ao passear ao sabor do vento vamos passando por alguns pontos mais conhecidos:
– A Plaza Mayor:  praça barroca, de formato quase quadrado, finalizada em 1755. O recinto está ladeado por bares e restaurantes, onde, nesta altura, decorre a feira do livro, fazendo com que seja uma das partes mais animadas da cidade;

– La Casa de las Conchas: é um dos edifícios mais conhecidos da cidade devido à decoração das suas paredes exteriores, nas quais foram utilizadas mais de 300 conchas Jacobinas. É um edifício civil de estilo gótico, que alberga actualmente a Biblioteca Pública de Salamanca e un Porto de Informação, construído nos finais do século XV.

– La Catedral Nueva (Sé Nova): iniciada a construção no séc. XVI, só terminou em 1733. O terramoto  de 1755 em Lisboa, também se fez sentir em Salamanca, tendo os sinos da catedral dado sinal sem que ninguém os tivesse tocado.

– La Catedral Vieja (Sé Velha): construída no séc. XII, predomina o estilo romântico, mas também se encontram vislumbres do estilo gótico.

– Convento de San  Esteban: igreja dominicana onde Colombo procurou apoio dos Reis Católicos.

– Igreja de Santiago, sendo a área à frente transformada adaptada à prática de skate.

Salamanca passa a ser a cidade preferida de muitos dos peregrinos da Via de la Plata e, de facto, é encantadora, pela cor, pelos edifícios, o movimento (é notoriamente uma cidade universitária e, por isso, muito jovem), a vida! No entanto, para mim, embora queira aqui voltar, Sevilha guarda um cantinho especial. São diferentes, muito diferentes e o melhor, talvez seja voltar às duas. :)

Na visita ao topo das Catedrais, por haver alguns degraus muito altos e irregulares, ao descer, não coloco bem o pé e dou um esticão na perna. O resto do dia ficou sempre aquela impressão, espero que não seja nada de especial e amanhã tudo volte ao sítio.
De resto, foi  um dia tranquilo, como se pretendia.

Etapas Via de la Plata

LivroUm Caminho para Todos – Diário de uma peregrina no Caminho de Santiago, Via de la Plata e Camino Sanabrés

_________

EN

(Translation in progress… google translation for now) :\

Awake at the usual time, the routine is installed in the body, but this time for a change, I turn to the side to get back to sleep. It will not be long, but it’s enough to give a sign that today is a day of preguicite and everything will be done in “slow motion”.
We take the day to wander a bit through the city center, principamente the historic center. This time I will be only an idea of it, hoping to have the opportunity to return one day to know the background, but today do not feel like to be an “intensive” tourist, I’m not in that spirit.
Walking through the wind we going through some more known points:
– The Plaza Mayor: Baroque square, almost square format, completed in 1755. The room is lined with bars and restaurants, which at this point runs the book fair, making it one of the liveliest parts of the city;
– La Casa de las Conchas: is one of the best known buildings in the city due to the decoration of its exterior walls, which were used more than 300 Jacobinas shells. It is a civil building of Gothic style, which now houses the Public and Salamanca un Port Information Library, built in the late fifteenth century
– La Catedral Nueva (New Cathedral): construction began in the century. XVI, ended only in 1733. The 1755 earthquake in Lisbon, was also felt in Salamanca, and the bells of the cathedral given signal no one had touched them.
– La Catedral Vieja (Old Cathedral): built in the century. XII, dominates the romantic style, but are also glimpses of the Gothic style.
– Convento de San Esteban: Dominican church where Columbus sought support of the Catholic Kings.
– Church of Santiago, and the area ahead transformed tailored to skate practice.
Salamanca becomes the favorite city of many of the pilgrims of the Via de la Plata and in fact is lovely, the color, the buildings, the movement (is notoriously a university town and therefore very young) life! However, for me, although here want to go back, Seville holds a special place. Are different, very different and the best, you may go back to two. :)
In the visit to the top of the Cathedrals, for having some very high and uneven steps, to come down, I do not put the foot well and give a leg stretching. The rest of the day always got that impression, hope it’s not anything special and tomorrow everything goes back to the site.
Moreover, it was a quiet day, as intended.

Stages of Via de la Plata

Book: A Camino for All – A Pilgrim’s Diary on the Camino de Santiago, The Via de la Plata and the Camino Sanabrés

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s