Reflexões enquanto Hospitaleira

CF - AprendizagensA semana enquanto hospitaleira em Águeda foi proveitosa. Claro que há pontos mencionados abaixo que são do senso comum e podem ser aplicados a inúmeras situações, mas este tempo serviu para reflectir e experienciar mais intensivamente alguns aspectos.
Infelizmente, falhei em vários…

– Não é preciso ter sido peregrino para desempenhar um bom trabalho enquanto hospitaleiro. (Todos os hospitaleiros/voluntários do Albergue de Águeda nunca fizeram o caminho e o seu empenho e dedicação são notáveis!)

– Servir sem esperar ser servido.

– Saber falar uma língua comum ou disponibilizar o maior conforto é importante, mas receber com um sorriso é precioso!

– Tudo sabe melhor quando é partilhado.

– Perceber o outro. (Dar o espaço necessário, falar, saber ouvir.., tudo tem o seu tempo próprio e não é igual para todas as pessoas.)

– Mais vale dar a mais, do que a menos. (Que a timidez não impere.)

– Não há dois peregrinos iguais e, no entanto, todos podem ser especiais.

– Colocar as coisas em perspectiva. (Se fazer 1 mês de caminho parece muito, quando conhecemos quem está há meses e meses a percorrê-lo, já não é assim tanto! Um pacote de bolachas pode ser banal, mas receber uma última bolacha guardada para um futuro lanche, é um tesouro!)

– Há tantas formas de percorrer o Caminho, quanto o número de peregrinos. A designação do “verdadeiro peregrino” cada vez faz-me menos sentido.

– Os encontros no Caminho são intensos porque as máscaras do dia-a-dia vão caindo e  mostra-se o que realmente somos, proporcionando momentos de curta duração, mas marcantes. (Merci Corinne!)

– Pôr amor e dedicação em tudo o que se faz. (“Tudo o que é digno de ser feito, é digno de ser bem feito”. Há tarefas menos apetecíveis, para mim, a parte das limpezas. Mas pôr um sentido na sua realização, muda tudo!)

– Deus escreve mesmo direito por linhas tortas! ;)

Gostaria ainda de:
– ter estado sempre presente de manhã na saída dos peregrinos;
– ter gosto e aptidão para cozinhar, de modo a ter podido confeccionar o jantar e partilhar esse momento com os peregrinos.

Tenho esperança que esta experiência tenha várias consequências: me torne melhor peregrina, melhor hospitaleira e, consequentemente,  melhor pessoa! :) Fica a esperança….

(Fonte Imagem: Cláudia Florença Photography)
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s