Las Medulas, um encanto!

Não pesquisei nada sobre Las Medulas, mas quando abriram as inscrições para a expedição, inscrevi-me logo, afinal de contas, a fotografia que a promovia era fantástica e tinha o selo de qualidade Borealis (site e Facebook).

O dia iniciou bem cedo, com partida do Porto às 6h45, numa manhã bem fria rumo à Galiza. Na primeira parte da viagem, nada digno de assinalar, dando para dormitar mais um pouco, mas na zona da Galiza, a paisagem foi ficando mais interessante e verde misturada com as cores outonais.
Quase chegados ao destino, à beira da estrada, salta-me à vista um marco em pedra com uma vieira, que me fez despertar de imediato! Logo depois, vemos um pequeno grupo de peregrinos. Nesta altura ainda desconhecia a paisagem maravilhosa escondida “lá em cima” e já considerava estes peregrinos sortudos por poderem caminhar em tão agradável trajecto.

DSC06560
Igualmente na Galiza a temperatura estava baixa e a ameaça de chuviscos rapidamente se tornou uma realidade mal começamos a caminhar. Pessoalmente, prefiro o frio para este tipo de programas, mas a chuva era completamente dispensável!

A primeira paragem foi no Lago Sumido, um dos lagos artificiais ainda existentes, onde os romanos, garimpeiros de ouro, lavavam os detritos vindos da montanha.
Seguiu-se uma caminhada com algumas subidas e, para mim, tortuosas descidas, onde não fosse a boa vontade dos outros caminhantes em darem a mão nalgumas situações, era pouco provável ter seguido em frente. Apesar de toda a ajuda, ainda consegui estatelar-me no chão. Não que não soubesse, mas uma vez mais, ficou provado que de Heidi, só tenho mesmo o espírito!

Depois de um almoço pouco confortável, devido às condições atmosféricas, mas reconfortante, seguimos em direcção ao miradouro de Orellán. Ao longo deste trajecto o tempo foi melhorando e a chegada ao miradouro foi um autêntico presente! O sol deu o ar da sua graça, reavivou a cor alaranjada das Medulas (“restos” da montanha) e proporcionou belas fotos, principalmente aos fotógrafos do grupo. Demoramo-nos um pouco no miradouro, mas a paisagem assim o exigia.

Para voltar ao ponto de partida, descemos pelo bosque. Apesar do piso escorregadio de lama e folhas secas, o cenário era fantástico. A maioria das árvores com líquen nos troncos e semi-despidas, com folhas em tons de amarelo, laranja e vermelho, misturadas com outras resistentes ainda com folhas verdes, formavam um quadro colorido que ainda permanece na minha memória.
Saídos deste cenário de fantasia, como alguém referia, ainda visitamos duas grutas, La Cuevona e La Cueva Encantada.

No final, antes de voltar ao autocarro, esperava-nos um cházinho quente e um delicioso bolo de chocolate. Divinal fim de dia!

Num percurso de cerca de 14km, vimos paisagens diversas, mas igualmente encantadoras. Este é daqueles locais, que se poderá voltar várias vezes, pois em cada estação do ano, a experiência será certamente diferente.

Segundo a Wikipedia: Las Médulas foi uma antiga exploração romana de ouro a céu aberto e é hoje uma paisagem grandiosa e espetacular de formações avermelhadas e de bosques de castanheiros e carvalhos, no local que anteriormente foi ocupado pelo monte Medilianum. O sítio de As Médulas fica na província de LeónEspanha, próximo da pequena aldeia com o mesmo nome.

Foi inscrita em 1997 como um Patrimônio da Humanidade na lista da UNESCO.

_____________

Outra expedição Borealis: Islas Cíes

Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s