Desprendimento

Desprendimento“Partir em peregrinação exige deixar o trabalho habitual, a segurança e o conforto do lar. Tal como aconteceu com Tiago e os outros discípulos, ao partir deixa-se muita coisa para trás: conforto, hábitos adquiridos, segurança. O caminho vai-se abrindo à nossa frente exigindo leveza no andar e desprendimento em relação ao passado.Estou convencido de que um dos motivos que leva alguém a pôr-se a caminho de Compostela é o desafio inerente à jornada: serei capaz de aguentar? A experiência de vários anos aconselha a pensar duas vezes naquilo que se vai levar. A mochila não deve ir pesada, contendo apenas o essencial. No primeiro ano, a mochila parece pequena demais para transportar tanta coisa que julgamos necessária para a viagem. No segundo ano, já vai mais leve e quantas mais vezes o peregrino se faz à estrada menos coisas carrega consigo. De ano para ano descobre-se que é possível fazer o caminho com poucas coisas às costas.”

in “A Caminho de Santiago – Caminho Português – Como quem procura uma fonte ou uma estrela”, de José Antunes da Silva

(Fonte Imagem: aqui)
Anúncios

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s